Palavra do Presidente – Senhor, Tu sabes todas as coisas

“Pela terceira vez, ele lhe disse: Simão, filho de João, você me ama? Pedro ficou magoado por Jesus lhe ter perguntado pela terceira vez: Você me ama? E lhe disse: Senhor, tu sabes todas as coisas e sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Cuide das minhas ovelhas” (Jo 21.17).
Pedro respondeu a questão levantada por Jesus pela terceira vez, mas acrescentou um elemento novo quando afirmou: “Senhor, tu sabes de todas as coisas”. Podemos imaginar que na mente dele passou um filme completo da sua própria vida, principalmente da ocasião em que jurou fidelidade a Cristo (Lc 22.33-34), mas terminou fracassando (Lc 22.54-62).
O que Pedro disse sobre Jesus é verdade. Porque Ele conhece perfeitamente as nossas fraquezas e imperfeições (Sl 103.14), por exemplo, ao jovem rico que julgava ser fiel a Deus em tudo, o Mestre lhe disse: “Só uma coisa te falta: Vai, vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro no céu; então, vem e segue-me” (Mc 10.21); mas o restante da história todos nós já sabemos.
Por outro lado, é saudável que possuamos um desejo verdadeiro por mudanças, por crescer ou melhorar em nossa vida de comunhão com Deus. Pedro estava certo da capacidade de Cristo de conhecer todas as coisas, por isso ele lhe disse em seguida outra verdade: “(Tu) sabes que te amo”. De fato, Jesus também sabe que o amamos. No caso de Pedro, Jesus sabia que agora o seu discípulo mais extravagante o amava a toda prova, por isso lhe ordenou: “cuide das minhas ovelhas” (v. 17).
À semelhança do caso de Pedro, o Mestre também sabe que o amamos, e podemos crer que Ele, do mesmo modo, nos convoca à pastorear, a cuidar do seu precioso rebanho. Não há dúvida de que é somente sendo chamado pelo próprio Dono do rebanho que poderemos ter um ministério bem-sucedido, porque esse tipo de pastoreio tem tudo para dar certo, mesmo em meio as lutas e tribulações (privações) que surgirão em nossa jornada ministerial, porque mesmo em meio as lutas o Bom Pastor sempre estará conosco (Mt 28.20).
Como vimos, Jesus é o Dono das ovelhas, e Ele nos confere a responsabilidade de “despenseiro de Deus” (Tt 1.7), ou seja, de mordomos, de administradores das preciosas ovelhas que comprou com seu próprio sangue. Portanto, precisamos estar conscientes de que um dia haverá prestação de contas do “tesouro” (vidas) que Ele confiou em nossas mãos (1Co 3.11-15).
Portanto, amados irmãos, devemos exercer o nosso ministério com temor e tremor, fazendo o melhor que pudermos com cada ovelha do Seu rebanho. De fato, há ovelhas de vários tipos, como escreveu o profeta Ezequiel; vejamos: “A perdida buscarei, a desgarrada tornarei a trazer, a quebrada ligarei e a enferma fortalecerei; mas a gorda e a forte destruirei; apascentá-las-ei com justiça” (Ez 34.16). Como vimos, Ele mesmo cuidará de cada uma das suas ovelhas, mesmo aquelas mais problemáticas (ex: “gordas e fortes”), a questão a ser considerada aqui é com relação ao convite que Jesus nos faz para cooperar com Ele nessa missão (2Co 6.1). Pense nisso, e faça o melhor que puder, porque um dia Ele irá recompensar a sua fidelidade (1Co 15.58).
Que Deus vos abençoe e guarde;
Pr. Luiz Fernandes Bergamin;