Palavra do Presidente – Deus não despreza os pedaços

DEUS NÃO DESPREZA OS “PEDAÇOS”.

“E, quando já estavam fartos, disse Jesus aos seus discípulos: Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca” (João 6.12).

Pr.-BergaminCuriosamente o milagre da multiplicação dos cinco pães e dois peixinhos, que alimentou uma multidão de cinco mil homens, fora mulheres e crianças (Mt 14.21), foi registrado pelos quatro evangelistas. No mínimo Deus quer nos chamar a atenção para as inúmeras verdades contidas nesse milagre singular do Senhor Jesus, por exemplo, do seu poder criador e da sua divindade, entre outras. Mas quero chamar a atenção para o fato de que Jesus deu ordem aos discípulos para recolher “os pedaços que sobraram”.

Portanto, além do Senhor Jesus ser contra o desperdício, é possível extrairmos desse episódio extraordinário outras lições de vida, por exemplo, que os “pedaços” podem representar as várias situações do histórico das nossas vidas em particular, que Deus usou para construir o nosso caráter e também dar forma ao ministério que Ele escolheu para cada um de nós. Se assim o for, então a seguinte referencia das Escrituras se encaixa perfeitamente com o que estamos afirmando aqui; vejamos: “…todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus…” (Rm 8.28).

Quanto mais aprendemos sobre Deus, tanto mais nos surpreendemos com Ele. O Senhor valoriza o que muita gente despreza, por isso é certo afirmar que “Deus não despreza os pedaços”, que Ele usa coisas aparentemente insignificantes para fazer coisas grandes em nós e por meio de nós (Mt 13.31-32).

Deus não menospreza os “pedaços”, porque é deles que se forma o todo, por exemplo, uma linda e confortável colcha pode ser feita de centenas de pequenos retalhos de pano que muitas vezes são descartados pelos grandes estilistas. Paulo nos convida a reparar no ministério da igreja a fim de percebermos que Deus “escolheu as coisas humildes, e as desprezadas, e aquelas que não são, para reduzir a nada as que são; a fim de que ninguém se vanglorie na presença de Deus” (1Co 1.28-29).

Deus recolhe os “pedaços” para reconstruir aquilo que ninguém mais quer ou valoriza, como um vaso defeituoso que precisa ser refeito (Jr 18.1-6); do mesmo modo o Senhor é capaz de transformar um mendigo, num príncipe (1Sm 2.8), e um “farrapo humano” num grande evangelista (Mc 5.18-20). Por esse ângulo de visão, podemos dizer que o Senhor Jesus é uma espécie de “reciclador” espiritual.

Amados irmãos, Deus não despreza “os pedaços”, porque eles são uma espécie de “matéria prima” que Ele usa em sua obra. Quem seria melhor do que um ex-usuário de drogas e álcool, agora convertido e cheio do Espírito Santo, para ajudar outro dependente químico que deseja desesperadamente mudar de vida? Finalizo essa meditação com a seguinte afirmação do rei Davi: “…a um coração quebrantado e contrito não desprezarás o Deus” (Sl 51.17).

Que Deus vos abençoe e guarde;

 

Pr. Luiz Fernandes Bergamin;

Presidente do Conselho Nacional OBPC.