Junec – Predestinação Bíblica

PREDESTINAÇÃO BÍBLICA

“nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade (…). Nele, digo, no qual fomos também feitos herança, predestinados segundo o propósito daquele que faz todas as coisas conforme o conselho da sua vontade” (Ef 1.5, 11).

O verbo predestinar significa: “destinar, designar antes ou com antecipação”. O termo grego “proorizo” é decidir previamente ou determinar antes. Essa concisa definição nos remete a pelo menos duas verdades sobre a natureza de Deus: sua soberania e pré-ciência. Mas antes de fazermos qualquer comentário sobre o polemico tema da presdestinação precisamos estar conscientes do seguinte: “o qual (Deus) deseja que todos os homens sejam salvos e chegem ao pleno conhecimento da verdade” (1Tm 2.4). Outra referência muito importante a respeito da salvação nos diz: “…(Jesus) tornou-se o Autor da salvação eterna para todos os que lhe obedecem” (Hb 5.9); e por último Pedro escreveu: “…não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento” (2Pe 3.9).
Rejeitamos a chamada “predestinação fatalista”, que afirma que Deus escolheu quem deve ir para o Céu e quem deve ser lançado no Inferno (à parte da responsabilidade humana), simplesmente porque esse pensamento não combina com a natureza justa e amorosa de Deus. As Escrituras mostram claramente que Deus deseja que o homem pecador conheça a Jesus Cristo e seja salvo (Jo 3.16; 8.21 e 24). Já no jardim do Éden o Senhor faz a promessa de enviar o Salvador (Gn 3.15), para resgatar a humanidade perdida em Adão.
A Bíblia afirma que: “…muitos são chamados, mas poucos, escolhidos” (Mt 22.14), mas afinal quem são os escolhidos? São aqueles que se destacam no grupo dos chamados. Podemos dizer que todos (os que ouvem) são chamados, mas que apenas são escolhidos (ou eleitos) aqueles que recebem de bom coração a Palavra de Deus (Mt 13.23). Portanto Deus escolheu para salvação aqueles que livremente aceitarem o seu plano redentor em Cristo Jesus, do mesmo modo Ele determinou para a perdição eterna aqueles que deliberadamente rejeitarem a salvação pela fé em Jesus Cristo. Falando a respeito da pré-ciência de Deus com relação à salvação ou perdição do homem, podemos dizer que a escolha de Deus é feita com base no seu conhecimento previo de quem escolheria ou rejeitaria a Jesus Cristo como seu Salvador pessoal. O Dr. Macarthur na Bíblia de estudo que leva o seu nome traz a seguinte nota de rodapé do texto de Efésios 1.4 (“nos escolheu”), vejamos: “A eleição ou predestinação de Deus não opera à parte da responsabilidade do ser humano de crer em Jesus como Senhor e Salvador ou a anula” (cf. Mt 3.1, 2; 4.17; Jo 5.40). Já no comentário do verso 11 do mesmo capítulo, lemos: “predestinados. Antes que a terra fosse formada, Deus, de modo soberano, determinou que todo pecador eleito – embora vil, sem valor e merecedor da morte – ao confiar em Cristo seria tornado justo” (2010; p. 1600).
Podemos concluir esse tema dizendo que não é possivel ser dogmático num lado da questão apenas (soberania divina – Jo 6.44) em detrimento da outra (responsabilidade humana – At 17.30). Pois a Bíblia está repleta de textos que confirmam tanto uma como a outra posição. A verdade é que Deus insistentemente chama o homem pecador para si (através do Evangelho – Jo 6.45), a fim de salvá-lo em Cristo; mas apenas os “eleitos” atendem ao seu chamado, pois há aqueles que escolhem “resistir” ao apelo divino (At 7.51). Seja como for, somos salvos pela graça e amor Deus, à parte dos nossos meritos, mas essa salvação é uma provisão divina oferecida a todos os seres humanos (Hb 2.9).

Pr. Walter Bastos/ Diretor da Junec;
[email protected] / (20112013);